Quem era a moça com brinco de pérola ? de Johannes Vermeer

A moça com brinco de pérola ou A rapariga com brinco de pérola é a obra mais emblemática de Johannes Vermeer.

 

moça com brinco de pérola

Vermeer, Johannes: Rapariga com o Brinco de Pérola, 1665. Óleo sobre tela. Mauritshuis, Haia- Holanda. Fonte: https://www.wikiart.org/pt/johannes-vermeer/rapariga-com-brinco-de-perola-1665

Vermeer

A obra está assinada, porém não datada, acredita-se que tenha sido produzida em 1665 em Delft, Holanda. Suas dimensões são 44,5 cm de altura por 39 cm de largura, relativamente pequeno se comparado a sua fama internacional.

A moça com brinco de pérola

A moça com brinco de pérola é uma pintura marcante. Retrata uma cena em um ambiente interior, uma rapariga em roupas exóticas em um fundo escuro. A rapariga está usando um brinco de pérola extraordinariamente grande e o material e as cores de suas vestes parecem ser preciosos.

O corte da pintura é localizado na parte superior do torso, como um busto. Ela está posicionada com seu corpo virado de costas ao observador, enquanto seu rosto está virado sobre seu ombro olhando diretamente ao observador, seus olhos têm tamanho e clareza espetacular, seus lábios entre abertos, rosados, manifestam intimidade e sensualidade.

O nome desta obra até os anos 50 era Rapariga jovem ou Rapariga de turbante, só se tornando posteriormente rapariga com brinco de pérola ou moça com brinco de pérola.

Composição

Sua composição é baseada em linhas diagonais que geram um movimento lateral centrado no eixo da rapariga, apesar de ter linhas assimétricas há um senso de equilíbrio e compensação de espaços. Seu contorno é feito pelo contraste entre os tons que os objetos assumem em relação a luz, dispensando linhas. A luz é difusa, porém tem clara orientação da esquerda superior para a direita da tela, a mesma é o tema central nas obras de Vermeer. Tendo ele sido chamado de “mestre da luz”.  As pinceladas quase desprovidas de textura, as suaves cores, a leveza e maciez aplicada ao objeto retratado são típicas do artista.

Nos aproximando mais da pintura podemos perceber algumas rachaduras na superfície da tela, após a restauração feita 1994 se constatou impossível reparar o craquelado. Na ocasião da mesma restauração foi removido verniz amarelado da tela, tornando mais vivos os tons.

Quem era a moça com brinco de pérola?

Além da composição e luz da tela, a aparência da rapariga e sua identidade são temas muito discutidos. Estaria ela olhando para o observador? Alguns dizem que a rapariga olha respondendo a um chamado, outros acham que ela foi surpreendida. Em contraste com essas suposições há quem diga que a rapariga parece estar posando. Residindo nesse tópico ideias contraditórias quanto ao posicionamento da modelo.

Seria um tronie?

Relativo à identidade da moça com brinco de pérola , assunto este também bastante polêmico, devido à ausência de conteúdo simbólico, pode-se concluir que ela não representa uma alegoria. Devido a ela não estar inserida a um ambiente, ou ser identificada, não se pode dizer que estamos observando um retrato. Porém acredita-se que seria um tronie, uma subcategoria de retratos onde o objeto retratado não é uma pessoa real, mas uma figura imaginada pelo artista, as figuras nos tronies são idealizadas, ou tem características ou expressões exageradas.

A pérola

Pérolas são geralmente retratadas nas obras de Vermeer, mas nenhuma tem um tamanho tão singular como esta. Seria possível que a modelo estivesse usando uma pérola falsa feitas de vidro, uma técnica comumente usada na Itália para mimetizar a aparência de pérolas naturais no século XVII. A pouca nitidez na representação da pérola, ela basicamente é uma reflexão do ambiente flutuando no pescoço da rapariga, é um argumento a favor desta suposição. Ainda existindo a possibilidade de que a pérola é apenas fruto da imaginação de Vermeer, que a incluiu em benefício da composição, representando a idealização, o rigor técnico e a representação de riqueza comuns em tronies.

Era comum a Vermeer utilizar membros de sua família ou pessoas próximas como modelos. Há a hipótese de que a modelo para Rapariga com brinco de pérola fosse sua filha mais velha Maria Vermeer, que teria aproximadamente 12 anos na época em que a obra foi realizada, porém muitos refutam essa tese pelo apelo de sensualidade que os lábios entre abertos suscitam.

É precisamente na ausência de identidade da modelo da tela que se desenrola o romance que deu origem ao longa metragem Rapariga com brinco de pérola.

Atualmente a tela se encontra exposta no Mauritshuis de Haia.

Pode conhecer melhor a vida e obra de Johannes Vermeer neste artigo.

Marina Barros Cabral

Marina Barros Cabral

Licenciada em Artes Cênica com habilitação em Indumentária pela Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro e licenciada em ensino de artes visuais pela UNILAGOS. Atuou como educadora artística bilíngue no ensino básico e como compradora de moda. Atualmente cursando Mestrado em História da Arte, Património e cultura visual na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. Apaixonada por Artes Visuais, História da arte, filosofia, cultura, estética, património, curadoria e restauro.

Área de concentração Arte medieval e renascentista. Colabora com a Citaliarestauro.com, nas áreas de História da Arte e Estudos Medievais.

Pode ter interesse

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu