Quais as vantagens da conservação preventiva em museus

Conservação preventiva em museus | quais as vantagens e o que pressupõe.

Neste artigo sistematizam-se as vantagens da implementação de um plano de conservação preventiva em museus .Conservação preventiva área

Plano de conservação preventiva em museus

Prevenir pressupõe um trabalho de previsão e avaliação dos riscos que podem afetar os nossos objetos de arte. 

Prevenir permite-nos, também, definir mecanismos que possam dar uma resposta imediata quando ocorrerem situações de risco, evitando assim a perda ou danos nos bens culturais.

Se é importante perceber a razão pela qual é relevante a existência de orientações no âmbito da preservação de obras artísticas que possibilitem a prevenção de riscos vários como roubo, vandalismo, acidentes ou degradação, é também fundamental conhecer as ameaças que afectam, ou podem afectar, as colecções e o edifício que as abriga, providenciar medidas de conservação e segurança e avaliar riscos que reduzam ou evitem a deterioração da colecção.

Assim sendo, de modo esquemático, vejamos:

Que vantagens há na adopção de uma política de Conservação Preventiva em museus

– Vantagens económicas.

Processo de controlo ambiental, de luz, pestes, etc é menos dispendioso que a intervenção de restauro e conservação;

– Vantagens científicas.

Assegurar o princípio da intervenção mínima através da evolução dos conhecimentos científicos que nos permitem ter conhecimento da evolução artística, das técnicas de produção, da melhor identificação e datação das peças;

– Vantagens culturais,

artísticas e patrimoniais. Além do valor artístico e do valor de memória que cada objecto transporta a conservação preventiva das obras permite também a sua melhor valorização turística.

vantagens da conservação preventiva em museus


Curso online Conservação Preventiva

1 – Conceitos Gerais

  • Introdução
  • Conservação preventiva – conceitos
  • Conservação preventiva – objectivos

2 – Conservação Preventiva

  • Em que consiste
  • Vantagens de um plano de conservação preventiva
  • Como implementar um plano de intervenção: métodos e ferramentas
  • Metodologia de avaliação de riscos
  • Ferramentas para avaliação de riscos
  • Exemplo prático de avaliação de ricos

3 – Factores de deterioração e formas de controle

  • Agentes universais
  • Agentes específicos
  • Físicos
  • Químicos
  • Biológicos

4 – Manutenção, Exposição e Manuseio

  • Manutenção
  • Métodos de exposição
  • Transporte e manuseio

Alguns textos da DGPC sobre o tema.

Conheça os cursos relacionados com o tema

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu