Templo de Amon em Karnak | centro religioso do império

Três kilometros a norte de Luxor, o complexo de Karnak – onde se situa o Templo de Amon  -, na margem leste do rio Nilo, era o maior do reino ocupando uma área de 100 hectares de terra com 80 000 pessoas a seu serviço na era de Ramsés III.

Por Diana Ferreira |  Curso Online Guia de Tesouros Arquitetónicos – do antigo Egito a Bizâncio.

Imagem de capa: Avenida de acesso ladeada de esfinges com corpo de leão e cabeça de carneiro, o animal sagrado de Amon.

Templo de amon

1 Parte das ruínas do templo de Amon e do Lago SagradowebParte das ruínas do templo de Amon e do Lago Sagrado.

 

 

 

 

 

 

 

Quando, no Império Novo, a antiga Tebas foi capital do reino egípcio durante 1500 anos, o centro religioso mais importante localizava-se em Karnak.

Três kilometros a norte de Luxor, o seu complexo, na margem leste do rio Nilo, era o maior do reino ocupando uma área de 100 hectares de terra com 80 000 pessoas a seu serviço na era de Ramsés III.

Pouco nos resta para ver da antiga cidade de Tebas, mas os templos de Luxor e de Karnak são uma exceção. Este último em análise, é o mais famoso e visitado a seguir às pirâmides de Gizé.

Um museu a céu aberto que maravilha visitantes de todo o mundo, com a sua arquitetura colossal, os seus pilones, pátios, salas, estátuas, obeliscos e baixos-relevos.

Sala Hipóstila do Templo de Amon, outrora com 134 colunas papiriformes.Sala Hipóstila do Templo de Amon, outrora com 134 colunas papiriformes.

Centro religioso do impérioTESOUROS ARQUITETÓNICOS

O complexo de Karnak foi durante muito tempo o principal centro religioso do Egito, porém quando o faraó Akhenaton tomou o poder e abandonou o culto a Amon, substituindo-o pelo deus-sol Aton, construiu-se uma nova capital e novos templos, esquecendo o anterior até à morte do monarca.

Foi então que a veneração a Aton foi passando e Karnak voltou a ser o centro religioso do império.

Contudo, o grave estado das fundações acabou por colapsar a 3 de outubro de 1899, transformando o amplo e famoso recinto em ruínas de pedra com colunas tombadas, arquitraves derrubadas, estátuas destruídas e jardins desaparecidos.

Foram necessárias várias décadas até iniciarem os trabalhos de reconstrução de um espaço importantíssimo para o país, contributo de vários monarcas que foram ampliando o santuário, e que ainda hoje constitui uma atração quase mágica para os visitantes que ficam fascinados pela civilização egípcia.

Pode estar interessado nos artigos:

Iconografia dos deuses egípcios

Piramides do Egito | A Arquitetura dos Faraós

Esfinge de Gizé | a guardiã da cidade dos mortos


No curso online Guia de Tesouros Arquitetónicos I conheça:
0.  Panorama arquitetónico
1.  A Grande Pirâmide de Gizé
  • A arquitetura dos faraós
  • A importância do rio Nilo
  • A evolução da construção funerária
  • Os artesãos
  • A Grande Pirâmide de Gizé – Gizé
  • Localização
  • Função
  • Mistérios
  • Mão-de-obra
  • Interior
  • Esfinge
2.  O Templo de Amon
  • Os templos egípcios
  • Planta
  • Decoração
  • O Templo de Amon – Karnak
  • História
  • Planta
  • Centro religioso do império
3.  O Partenon
  • A arquitetura grega
  • Os deuses
  • O Partenon – Atenas
  • História
  • Planta
  • Êntase
  • Decoração
  • Funções
4.  O Coliseu
  • A arquitetura do grande império romano
  • Influências
  • Objetivo
  • O Coliseu – Roma
  • História
  • Planta
  • Função
  • Organização
  • Jaulas
5.  A Basílica de Santa Sofia
  • A arquitetura bizantina
  • Divisão do império romano
  • Cristianismo
  • Mosaicos dourados
  • A Basílica de Santa Sofia – Istambul
  • História
  • Interior

Conheça os cursos e e-books sobre turismo cultural e monumentos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu