Esfinge de Gizé | a guardiã da cidade dos mortos

A Esfinge de Gizé é uma das imagens mais emblemáticas do Egito.

Texto de Diana Ferreira, autora do curso Guia de Tesouros Arquitetónicos – do Antigo Egito a Bizâncio.

A Esfinge de Gizé

Uma figura de grande importância no complexo da necrópole real iniciada no século XXVI a.C., em Gizé é a Esfinge de Gizé.

Com 20 metros de altura, orientada para oriente e ligada por uma via monumental à pirâmide do faraó Quéfren, a quem se assemelha.

Ela é a guardiã da cidade dos mortos que se ergue da areia e admira o nascer do sol.

Esfinge de Gizé

Esfinge. Fonte – http://thoth3126.com.br/wp-content/uploads/2013/11/esfinge-gizé.jpg

Feita em pedra e da mesma idade que a pirâmide de Quéops, demorou 23 anos a ser concluída.

Trata-se de uma escultura com cabeça humana (retrato idealizado do faraó) e corpo de leão deitado, simbolizando o poder do rei e do império.

Usa o toucado listado, o nemés, e tem sobre a testa um uraeus, símbolo real, sendo desprovida atualmente de nariz, barba e da pigmentação que a cobria.

Mascara de Tutankamonnemes, que data de Djoser (posterior ao khat) era um toucado funerário que cobria a totalidade da cabeça, caindo na vertical por detrás das orelhas e que se amarrava numa trança que começava pelo nível da nuca. Este toucado é representado com muita frequência. Segundo os textos, seria branco e tingido com bandas azuis – ou, como podemos ver na imagem que se segue, usava uma combinação de ouro e lápis-lazúli.

Ao nemes, habitualmente, fixavam-se as figuras de um abutre e de uma cobra – uraeuscomo parte do diadema faraónico.

Do curso online Antigo Egito – Mitologia e Iconografia.

O sonho de Tutmósis IV

Entre as suas patas dianteiras está uma placa de granito que conta o sonho de Tutmósis IV, no século XV a.C., que após a caça às gazelas se encostou à cabeça da esfinge e adormeceu.antigo egito 2

Diz ter tido um sonho em que a esfinge lhe prometeu que se libertasse o seu corpo da areia que a cobria, ele seria faraó. Apesar de não ser da realeza, o jovem decidiu realizar o seu pedido e a esfinge cumpriu a sua parte.

Conjunto tumular de Gizé

Tal como as pirâmides, esta escultura inclui-se no conjunto tumular complexo e extremamente sofisticado, que representa uma cultura esquecida durante séculos e que ainda tem muito para nos explicar e deslumbrar com as suas formas, precisões, crenças, aptidões e cálculos avançados em tempos tão remotos.

Trata-se do conjunto das pirâmides do faraó Quéops (tradução em grego de Khufu), Quéfren (Khafre) e Miquerinos (Menkaures), situadas a 12 quilómetros a sudoeste do centro do Cairo, albergando os túmulos dos faraós da IV dinastia, do Império Antigo, representando avô, filho e neto, numa ordem de dimensões descendentes em relação à cronologia.

Curiosidade

As descobertas arqueológicas no Egito despertaram a curiosidade de muitas figuras relevantes da época.

Na imagem abaixo podemos ver o arqueólogo francês Auguste Mariette (sentado à esquerda) e o imperador Pedro II do Brasil (sentado à direirta) com outros em frente à Esfinge, 1871.

Esfinge de Gizé curiosidadeDelie & E. Bechard- De Volta a Luz: Fotografias Nunca Vistas do Imperador. São Paulo: Banco Santos; Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, 2003

https://en.wikipedia.org/wiki/Great_Sphinx_of_Giza#/media/File:Pedro_II_of_Brazil_in_Egypt_1871.jpg


No Curso Online tesouros arquitetónicos I | Da antiguidade Egipcia à arquitetura Bizantina fique a conhecer.

0.  Panorama arquitetónico

1.  A Grande Pirâmide de Gizé

2.  O Templo de Amon

3.  O Partenon

4.  O Coliseu

5.  A Basílica de Santa Sofia

[siteorigin_widget class=”SiteOrigin_Widget_Cta_Widget”][/siteorigin_widget]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu