o que é patrimonio integrado ? O azulejo

Entende-se por património integrado os objetos de valor histórico e patrimonial que se integram num edifício ou elemento arquitetónico.

Embora não fazendo parte da estrutura do edifício, os elementos de património integrado encontram a sua função e leitura na relação com os componentes arquitetónicos.

Algumas considerações sobre património integrado e as especificidades a ter em conta nas ações conservativas a partir do curso online Conservação e Restauro de Azulejo.


O caso do azulejo

Se quando falamos de uma pintura, escultura ou peça cerâmica, falamos de uma peça per si, quando tratamos de azulejos temos de ter sempre em consideração que estes se integram num conjunto arquitetónico.

Seja um revestimento interior ou exterior de Igrejas ou Palácios, casas particulares, fontes, detalhes em ruas e fachadas, existe uma relação direta com o seu enquadramento e edifício ou elemento arquitetónico.

As decisões técnicas e prioridades numa ação de conservação e restauro terão de ter em consideração este aspeto.

Alguns exemplos de património integrado | Azulejo

Fonte de Vinhais

Caraterização

Designação –Fonte do Cano.patrimonio integrado vinhais 1

Localização – Praça do Arrabalde, Vinhais.

Categoria – Cerâmica decorativa.

Técnica – Azulejaria.

Datação – Cantarias – séc. XVIII

Painéis de Azulejo – inicio séc. XX

Dimensões dos painéis – 350 x 140 cm.

Proprietário Freguesia de Vinhais.

Descrição – Fonte barroca cujo “espaldar” e tanque remontam ao Sec. XVIII. Apresenta estrutura pétrea em granito, com brasão constituído por um Escudo Real com cinco escudetes dispostos em cruz.

As paredes laterais encontram-se cobertas com painéis de azulejos do início do Sec. XX (anos 30). Este patrimonio integrado de fabrico nacional, pertencerão provavelmente à Fábrica de Sant’Anna, de acordo com inscrição. No painel do lado direito, surge a representação do Pelourinho da Vila e, já no painel do lado esquerdo é representada a extinta Capela da Misericórdia. Em vários matizes de azul ambas as representações apresentam uma moldura total, formada por folhas de acanto e assente num pedestal decorado em cornucópias e igualmente folhas de acanto.

Conheça em detalhe a intervenção realizada.

A particularidade desta situação de conservação e restauro residiu no próprio enquadramento dos painéis pois situam-se no exterior, integrados numa fonte e logo com uma acrescida presença de humidades. Deve-se ainda salientar que a zona onde se situa a fonte (Trás-os-Montes, Portugal) tem condições climatéricas particulares: neve e gelo no Inverno e muito calor no Verão.

Este enquadramento favoreceu o aparecimento de colonização biológica verificando-se a presença de fungos sobretudo nas zonas de destacamento ou ausência do vidrado.

Painel de azulejos de Júlio Pomar

Julio Pomar 1

Caraterísticas: Painel de azulejos em vários tons com fundo preto

Autor: Júlio Pomar

Datação: anos 60, sec. XX

Dimensões: 5 x 2,5 mts.

Histórico

O painel encontrava-se inicialmente no restaurante / cafetaria integrado num jardim da cidade de Lisboa, muito frequentado até aos anos 80/ 90.

A partir de certo ponto este espaço foi progressivamente sendo abandonado verificando-se a sua progressiva degradação.

Perante o risco eminente de vandalização do painel, a Câmara Municipal de Lisboa procedeu à sua remoção. Esta foi realizada por colaboradores desta Câmara duma forma muito rápida (apenas algumas horas) e os azulejos acondicionados em caixas de forma aleatória.

Em 2014, no âmbito de um programa de revitalização de todo o espaço envolvente, foi realizado um projeto de arquitetura para a cafetaria contemplando a reposição do painel. Foi então realizada a intervenção de conservação e restauro .

Estado de conservação

– os azulejos encontravam-se “fora da sua ordem” em caixas sem identificação ou marcação.

– praticamente todos os azulejos tinham uma espessa camada de argamassa no tardoz sendo que nalguns casos era de cerca de 3 cm.

– No assentamento original (anos 60) foi utilizada argamassa de cimento

– uma parte substancial dos azulejos encontrava-se fragmentada

– alguns azulejos – sobretudo os de cor preta- tinham sido substituídos, ainda no local original, por outros com caraterísticas (tipo de vidrado e espessura) diferentes dos originais.

Este trabalho de conservação e restauro levantou algumas particularidades sob o ponto de vista técnico em função do estado de conservação e de acondicionamento do painel. A primeira função do conservador restaurador é salvaguardar o original. Assim sendo, esta foi a prioridade, tratando-se os azulejos peça a peça, recuperando todos os fragmentos.

Pelas suas caraterísticas este património integrado levantou também algumas questões éticas importantes. O painel é da autoria de Júlio Pomar, artista contemporâneo. Neste caso, qualquer decisão que possa ultrapassar a vertente técnica e entrar na vertente estética e de leitura da obra, terá sempre de ser acompanhada e submetida à decisão do artista.

Conheça este processo de intervenção em detalhe.


Conheça os cursos de conservação e restauro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu