O que é arte? Uma reflexão a partir de algumas ideias de estudiosos e filósofos.

Neste artigo vamos colocar a questão o que é arte e, obviamente, não temos uma resposta mas sim um percurso pelas ideias de grandes pensadores sobre o que é arte.

E isto porque que a criatividade humana é inesgotável. A capacidade de utilizar técnicas, suportes, expressões, linguagens, materiais, sentidos, sentimentos para a produção de Arte não caberá, nunca, num conceito, numa definição ou numa explicação.

Queremos apenas refletir um pouco, consigo, sobre o que é arte , a partir de algumas ideias de estudiosos e filósofos.

Acompanhe-nos neste texto de Rute Ferreira.  A partir do curso online Curadoria de arte

O conceito de arte

Assim como a linguagem, é perigoso tentar fechar a arte em um conceito. Corremos o risco de não dar conta de tudo que ela abarca numa conceituação. Entretanto, alguns estudiosos nos oferecem indicações do que caracteriza uma obra de arte, para que a partir daí possamos saber com mais clareza do que estamos falando.

E.H Gombrich, em A História da Arte, esclarece que a arte enquanto “exercício de atividades tais como edificações de templos e casas, a realização de pinturas e esculturas, ou a tessitura de padrões” é inerente a todos os povos da terra, portanto

“nenhum povo existe no mundo sem arte”.

(Gombrich, 2015)

Há alguns anos, a definição de Gombrich bastaria para sabermos o que levar a um museu, galeria ou outro espaço de exposição. Com a mudança de diversos paradigmas, entretanto, essa tarefa se tornou mais complexa.

A Arte, hoje

Hoje, não são apenas pinturas e esculturas que adentram nesses lugares, mas instalações, happenings, performances, entre tantas outras atividades que se situam em lugares onde os limites e fronteiras não existem mais.

A arte hoje é mais complexa do que em qualquer outro período da história.

Em O Desencantamento da Arte, Rochlitz diz que:

“Apenas a arte apresenta, em cada época, uma imagem ‘definitiva’ do mundo (…). Por suas dimensões cognitivas, éticas, políticas, etc., a arte remete a todas as dimensões da vida”.

De fato, nenhuma outra produção humana é capaz de acompanhar tão de perto e tão honestamente a trajetória da humanidade. Sendo assim, é natural que os meios tradicionais de produção e apreciação de arte venham sendo questionados e alterados com o tempo.

Isso não significa que quadros e esculturas estejam ultrapassados. Quem vai a uma exposição geralmente espera encontrar exatamente esse tipo de objeto.

Mas o que torna um quadro ou escultura, por exemplo, uma obra de arte? O que faz com que todo ano milhares de pessoas visitem museus como o Louvre para ver os quadros expostos ali?


De seguida apresentamos os conceitos de Arte de grandes filósofos, de Aristóteles a Benjamin.


[siteorigin_widget class=”Thim_Courses_Widget”][/siteorigin_widget]

o que é arte na filosofia

É na filosofia da arte que encontramos um apanhado de saberes que podem auxiliar nessa reflexão. No livro A Obra de Arte: Ensaios Sobre a Antologia das Obras, Michel Haar seleciona e discute alguns pressupostos filosóficos da arte ao longo do tempo. E ele afirma:

 “Toda obra de arte é, tanto primeiramente como em última análise, unidade indissociável do sentido e do sensível”.

Podemos organizar, com base nos escritos de Haar, um pequeno resumo sobre a ideia de arte na filosofia.

PLATÃO

A imagem artística é inadequada ao ser (à ideia) e ao ente (coisa representada).

ARISTÓTELES

A arte não é apenas uma representação do que as coisas são, mas também ao que parecem ser, o verossímil, ou ao que deveriam ser, o ideal.

KANT

A arte produz, sem dúvida, o prazer estético, que é puro prazer de reflexão e não prazer de fruição. Mas a natureza produz muito mais este puro prazer.

SCHOPENHAUER

Uma obra de arte é ao mesmo tempo um objeto e uma ideia.

A arte é um meio destinado a facilitar o conhecimento que constitui o prazer estético.

SCHELLING

Se uma obra representa apenas o particular e não o infinito e universal, ela não é digna de ser chamada de obra de arte.

HEGEL

A arte deve expressar a universalidade dos sentimentos. Ela perece quando se compromete com a pintura de traços puramente individuais.

NIETZSCHE

A busca do artista consiste na contradição Apolo x Dionísio: ser, permanência e estabilidade versus devir, destruição e mudança.

BENJAMIN

A obra de arte – e sua consequente crítica – é uma exercício de aproximação da Verdade.

 

Esses conceitos, amplamente discutidos e resgatados na filosofia da arte, servem para oferecer um caminho sobre o que é arte . Note que os discursos se cruzam e se opõem, justamente porque cada autor estava inserido em um contexto histórico diferente. Esse é um ponto fundamental para se compreender a obra de arte e o que a caracteriza. Xavier Greefe, em Arte e Mercado, diz que:

“Hoje é grande a confusão sobre saber o que é uma obra de arte e quais são os seus limites. As obras de arte nascem como tal ou tornam-se assim porque um “diretor” assim decidiu ou porque casas especializadas, chamadas de instituições artísticas, as apresentaram como tal? (…) Que a obra faça parte da ars ou da techne, ela é, de qualquer modo, produto de uma aptidão humana”.

                                         

Sendo produto de uma aptidão humana, torno a dizer: a arte questiona, problematiza e responde ao seu próprio tempo.

O que não implica dizer que obras de arte do século XV não falem de problemas atravessados por nós.

Boas obras de arte sempre terão esse caráter de universalidade e atemporalidade.

[siteorigin_widget class=”SiteOrigin_Widget_Button_Widget”][/siteorigin_widget]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu