Joseph Niépce – a 1ª fotografia da história

Newsletter

Joseph Niépce tira a primeira fotografia

A história da fotografia começa pelos anos de 182o, quando o físico francês Joseph Niépce cria as primeiras provas positivas, utilizando betume da Judeia sobre uma placa de metal.  Surge a primeira fotografia.

Autoras dos textos: Yolanda Silva e Vera Carvalho

View_from_the_Window_at_Le_Gras,_Joseph_Nicéphore_Niépceweb

Vista de Le Gras a partir de uma Janela. A primeira fotografia tirada por Joseph Niépce

Fonte: Wikimedia

 

Joseph Niépce prepara a solução como uma espécie de envernizamento e o composto torna-se branco e insolúvel assim que exposto à luz.

Assim, depois de expor a placa de metal, havia apenas que dissolver as partes que não haviam sido expostas, ou cuja exposição foi mínima, formando-se um jogo de contrastes. É a primeira vez que uma imagem estável é obtida.

É seguro que a acção do sol sobre compostos químicos era conhecida há vários séculos.

De facto, o legado de Niépce não é derivado de novas descobertas ou fundamentos científicos, mas de uma insistência sistemática e concomitante na procura de um processo mais rápido e económico de produzir ilustrações.

A partir da primeira fotografia por Niépce, os processos técnicos ligados à fotografia não pararam de evoluir.

Sucederam-se as descobertas e as inovações. Até ao processo que irá democratizar a fotografia tornando-a acessível ao grande público: a criação da película plástica em rolo, por George Eastman, fundador da Kodak.

Alguns apontamentos sobre esta evolução

Louis Daguerre: trabalhou conjuntamente com Niepce no desenvolvimento do conceito, mas acabou por ser o único a usufruir da descoberta porque Niepce morreu entretanto.

Inventou os daguerreótipos que eram frágeis e por isso tinham de ser acondicionados em pequenas caixinhas, mas tinham muita definição porque a base era uma chapa; no entanto eram imagens negativas que não permitiam reproduções.

Veja o que é um daguerreótipo

Fox Talbot: tentou patentear o seu processo fotográfico o que resultou em ser detestado por muitas pessoas.

Ele utilizava um suporte de papel ao invés de chapa o que significa que ao ficar translúcido o papel servia como um negativo a partir do qual era fácil fazer reproduções, no entanto o papel não dava a mesma nitidez aos retratos que a chapa, a estas imagens dava-se o nome de calótipos.

George Eastman: democratizou a fotografia, o método dele baseia-se num negativo de celulose banhado numa emulsão com sais de prata em suspensão, a partir daqui eles podiam nas suas lojas receber as películas dos clientes, revelá-las e entrega-las, é o fundador da Kodak.

Kodak

Cursos online na área da fotografia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu