Como conservar fotos antigas?

Como conservar fotos antigas? Quais os materiais mais adequados para de albuns e caixas para conservar fotos? Quais os danos mais comuns que se encontram em fotografias antigas? Como manusear e acondicionar as nossas fotos de família?

Neste artigo saiba a importância da conservação de fotografias e em que consiste um programa de preservação.


A fotografia e a memória

O Homem tem produzido imagens desde o tempo das cavernas pintadas aos nossos dias. Com a invenção da Fotografia, permitiu-se a criação de imagens mais realistas e objetivas, e em frações de segundos. 

Usada como meio de expressão e comunicação pessoal e social de diversas naturezas, a Fotografia tem oscilado entre passatempo e profissão.

Independentemente do contexto da sua produção, ela toca as nossas vidas nas suas variadas formas, promovendo emoções e sensações e registando momentos históricos e sociais únicos.

conservar fotos antigas | uma responsabilidade

Pelo facto da sua natureza estar intrinsecamente ligada à noção de memória (colectiva ou singular), jaz em nós a responsabilidade de preservar os exemplares fotográficos da melhor forma possível, garantindo desse modo também preservação das memórias neles contidos.

conservar fotos antigas | conhecer a sua composição

Além de serem uma imagem, as fotografias são um objecto palpável, que ocupa um lugar no espaço e que requer uma atenção específica, mediante a sua composição fisico-química e as fragilidades que daí advêm.

Assim, a preservação e organização de um arquivo fotográfico vai depender de vários factores, entre os quais a própria natureza da colecção e o destino e uso que lhe pretendemos dar.

O que é um programa de preservação de fotografias?

A preservação foca nas medidas necessárias para aumentar a vida útil de um objecto, documento, desenho, fotografia, etc. Porque não basta apenas guardar a peça na reserva, no armário ou na caixa.

Assim, a acção de preservação deve ser:

– Permanente, realizada de acordo com um plano previamente estabelecido e estruturado consoante as necessidades das fotografias;

– Coerente, mantendo uma homogeneidade nas acções;

– Moderada, fazendo uso de uma atitude calma e ponderada, porque se trabalha com elementos frágeis.

conservar fotos antigas

Tratamento de conservação: limpeza de fotografia no Museu de Guerra Imperial (Imperial War Museum) de Inglaterra.
O conservador limpa a superfície da fotografia com movimentos sempre rotativos, e nunca arrastando o cotonete sobre a fotografia, sob risco de provocar pequenas abrasões.


conservar fotos antigas | etapas de um programa de preservação

definição do programa de preservação passa por várias etapas, cada uma delas composta de acções permanentes que determinam como vamos proceder com as fotografias, de modo a garantir a sua continuidade futura.

Podemos, então identificar 3 etapas, que podem ser resumidas da seguinte forma:

Diagnóstico

É a primeira análise das fotografias, em que se analisa:

  • Que espécies fazem parte da colecção e quais as suas características
  • Em que quantidade existem
  • Em que estado de conservação se encontram e que problemas apresentam
  • Quais os sistemas de acondicionamento existentes e quais os mais apropriados

Organização

Trata-se, no fundo, de preparar um inventário, em que se procuram as informações das fotografias:

  • A colecção tem nome?
  • Estabelecer uma relação escrita de total de fotografias, divididas de acordo com a espécie específica (por exemplo, 5 negativos de vidro, 25 provas de albumina, 57 provas cromogéneas em álbum, …)
  • Definir autorias, proveniências e histórico geral da peça
  • Fazer uma breve descrição dos conteúdos e estados de conservação
  • Como foram adquiridas? (doação, aquisição, etc.)
  • Se necessário: avaliação de valor monetário atribuído a determinada(s) fotografia(s) ou à colecção no geral

Plano de Tratamento

É a estratégia tomada para a preservação das fotografias:

  • Qual a forma de organização mais adequada (numeração, disposição nos móveis e salas de reserva, etc.)
  • Definir quais espécies precisam de tratamento e quais aquelas de tratamento prioritário
  • Quais as etapas de tratamento, quem executa este processo (que formação ou competências deve possuir, se é preferencial uma empresa externa, etc.)
  • Onde e com que materiais se realizam as acções de tratamento
  • O tratamento é global ou selectivo (que espécies requerem tratamentos específicos; se se pode aplicar o mesmo tratamento e acondicionamento a todas as provas, etc.)
  • Decisão das embalagens de acondicionamento mais adequadas e que materiais utilizar (e por quê)
  • Estabelecer uma calendarização das acções (definindo o quê se faz, como, onde e quem faz o quê)
  • Estabelecer um orçamento (que verba necessitamos para fazer esta e aquela tarefa ou este e aquele tratamento)

 

Portanto, como vimos, a definição do plano de acção na preservação das nossas fotografias requer algum trabalho e estudo. É importante que este seja cuidado e objectivo, sempre tendo em conta as necessidades específicas das provas fotográficas em mãos.


Yolanda Silva

Yolanda Silva

Tem formação em História da Arte (Faculdade de Letras da Universidade do Porto). O seu percurso levou-a a trabalhar no Arquivo Histórico Municipal do Porto e no Museu do ISEP, no âmbito do inventário e conservação de coleções de Fotografia. Andou pelo mundo dos antiquários e pelo turismo, até que se tornou formadora, dedicando-se às áreas de História da Arte, Iconografia e Conservação de Fotografia. Trabalha atualmente no Departamento de Cultura da Câmara Municipal do Porto, no âmbito do Património. Tem diversos trabalhos escritos / publicados nas áreas da História da Arte, Iconografia e Conservação.

Aprenda mais sobre fotografia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu