Quais as consequências da expansão europeia? Que repercussões teve?

Newsletter

Quais foram as consequências da expansão europeia ?

Em que medida foi o processo de expansão ultramarina determinante para transformar a Europa num espaço de relações e de novas mentalidades?


Conheça as causas da expansão marítima europeia no artigo.

as consequências da expansão europeia – ciência e técnica

Sucederam avanços de toda ordem: na tecnologia náutica e cartografia, na ciência e na medicina. Entre os quais se destaca a definitiva confirmação que o planeta Terra é esférico e não um disco. O aperfeiçoamento técnico dos instrumentos de marear, como foi o caso da bússola, astrolábio, sextante e balestilha,  assim como as novas soluções medicinais resultantes do confronto com novas doenças.

as consequências da expansão europeia – a fé e o imaginário

Sucedeu uma dilatação da doutrina da fé cristã, sobretudo com as missões, sobre as quais a Companhia de Jesus teve principal relevância, sendo o ensino, a missionação e a propagação da fé dos seus principais objetivos.

Criaram-se e resgataram-se imaginários e mitos, que ficaram imortalizados na cultura europeia através da literatura, da oralidade e das artes, como foi o caso do Reino de Preste João, algures perdido entre a Ásia e a África, ainda indefinidas e depois identificado com a Etiópia.

Ou como sucedeu com a visão medieval sobre as regiões do oceano Índico, onde se imaginava uma abundância infindável de riqueza e de  criaturas fabulosas.

Também o reavivar do mito da Atlântida deve ser tido em conta e a procura do Eldorado nas Américas.

as consequências da expansão europeia – as línguas e a cultura

Internacionalizaram-se as línguas europeias e importaram-se alguns termos que ainda hoje utilizamos (chá, chávena, ananás, maracujá).

Alargaram-se os horizontes culturais através dos novos produtos importados (especiarias, as sedas, as porcelanas) e também do contacto com outros povos, possibilitando uma visão alargada em termos geográficos e etnológicos e afirma-se a diversidade do género humano.

Os descobrimentos portugueses – novos saberes, novos sabores

Conheça o curso online

as consequências da expansão europeia – a política

A política externa adquire um novo significado e importância, reforçando-se e privilegiando-se as relações diplomáticas entre países. Porém, este processo foi também pautado pelo aumento das rivalidades, não só no plano continental e das questões de fronteiras e territórios, como também no plano ultramarino, com a disputa de zonas de influência, comércio e colonização.

as consequências da expansão europeia – a sociedade

Há uma maior projeção económica da burguesia mercantil e enfraquecimento da nobreza senhorial e feudal, o que leva à reestruturação e reorganização dos estatutos sociais, embora de forma «oficiosa».

A alta burguesia ascenderá à nobreza e manterá os seus valores (como os banqueiros Médici , de Florença, cuja família dará várias rainhas à França, por exemplo), assim como se mantém a noção tripartida da sociedade (clero, nobreza e povo).


Para saber quem foram os Medici e a sua influência, leia o artigo.


as consequências da expansão europeia – o comércio

Sucede uma certa decadência das cidades italianas, tão importantes no século XIV e XV para o comércio com o Mediterrâneo. Isto resulta da mudança do eixo económico, que passa para o oceano Atlântico.

Ao formar-se o sistema colonial, ativa-se a economia e o comércio, mas também a migração de pessoas para fora do continente.

Entretanto, com o desenvolvimento das colónias sucedem rotas comerciais que resultaram num enorme afluxo de metais para a Europa proveniente da América, como o ouro do Brasil (Minas Gerais), ou a prata da Argentina (expedida da colónia de Sacramento, longamente disputada entre portugueses e espanhóis) e das minas de Potosi do Peru.

Criam-se rotas em torno de produtos de alto rendimento como os escravos. O esclavagismo assume moldes capitalistas, onde seres humanos são comprados, vendidos e tratados como objetos numa escala e num esquema produtivo e comercial nunca anteriormente alcançados.


Leia o artigo Dia Internacional em Memória das Vítimas da Escravidão e do Tráfico Transatlântico de Escravos.


o eurocentrismo

Surge a noção de Eurocentrismo. Isto é, de hegemonia europeia sobre o mundo, que inspiraria políticas imperialistas, derivada da crescente afirmação das monarquias absolutistas europeias e da ideia de que é lícito a ocupação de outros territórios em proveito próprio e em nome de uma supremacia religiosa e cultural.

Artes e Culturas da Diáspora Africana

Conheça o curso online

Artigo publicado no Jornal da comunidade cientifica de língua portuguesa – A Pátria.


Referência bibliográfica – Delumeau, J. (1994) – A Ásia, A América e a Conjuntura Europeia. In A civilização do Renascimento I (P.49-72). Lisboa, Editorial Estampa.   


Diana Carvalho

Diana Carvalho

Mestre em História e Património, membro do Conselho Científico da Revista Herança e colunista em a Pátria. Está actualmente integrada como técnica nas escavações arqueológicas do Castelo de Leiria. É também autora de artigos científicos na vertente do Património Cultural e da História.

Pode ter interesse

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu