Turismo Cultural | Oportunidades e Desafios

Estamos claramente a assistir a um momento de viragem na forma de encarar as atividades ligadas ao turismo cultural e a sua relação com a comunidade, a sua sustentabilidade num mundo que sofre mudanças aceleradas devido à crise pandémica e à emergência climática.

Neste artigo vamos explorar os conceitos ligados ao turismo e particularmente ao turismo cultural mas também as relações entre turismo e património cultural.

Deixamos algumas ideias para reflexão. Obrigado!

Para maior desenvolvimento destes temas

Curso online: Interpretação do Património – técnicas e recursos

O que é o Turismo?

O turismo apresenta-se como um setor da atividade económica em dinâmica de crescimento. Contribui para a criação de riqueza e pode proporcionar uma melhoria das condições de vida das comunidades onde se desenvolve. Como refere o artigo 3º dos Estatutos da Organização Mundial de Turismo (OMT/UNWTO), os objetivos do turismo são os de contribuir para a expansão económica, compreensão internacional, paz, prosperidade e respeito universal.

Conceito

  • É o conjunto de relações e fenómenos originados pela deslocação e permanência de pessoas fora do seu local habitual de residência, desde que tais deslocações e permanências não sejam utilizadas para o exercício de uma atividade lucrativa principal.                                                        

AIEST – Worldwide network of tourism experts

E o Turismo cultural ?

O turismo cultural centra-se na apreciação do património histórico-cultural e artístico de uma determinada região/destino. É uma modalidade de turismo cuja motivação ocorre frequentemente em conjugação com a realização de encontros artísticos, científicos, de formação e de informação.

A procura deste tipo de turismo é motivada pelo desejo de ver coisas novas, de aumentar conhecimentos, conhecer as particularidades e os hábitos de outras populações, conhecer civilizações e culturas diferentes.

Os turistas culturais têm preferência pelos centros culturais, grandes museus, locais onde se desenvolveram no passado as grandes civilizações do mundo. Pelos monumentos, grandes centros de peregrinação ou pelos fenómenos naturais ou geográficos.

Mas também e cada vez mais por zonas rurais e menos divulgadas em busca de caraterísticas de autenticidade.

O turista cultural é motivado pela busca da diferença, pela realização pessoal, este procura vai muito além dos museus, monumentos e passa pela imagem, por um estilo de vida.

A procura, a nível do turismo cultural, segundo a OECD(2009) é estimulada por um conjunto de fatores:

  • Aumento do interesse pela cultura, como um fator de identidade e diferenciação face à globalização.
  • Níveis elevados de capital cultural, estimulados por crescentes níveis de educação.
  • Envelhecimento das populações nos países desenvolvidos.
  • O estilo de consumo moderno, o qual dá prioridade ao desenvolvimento pessoal.
  • A crescente importância da cultura intangível.
  • A crescente mobilidade, facilitando o acesso a outras culturas.

Turismo e Património

Para que a interação entre Turismo e Património seja benéfica, sustentável e duradoura há que seguir a seguinte estratégia:

  • Proteger, conservar, interpretar e divulgar o património e a diversidade cultural de cada lugar ou região;
  • Providenciar aos visitantes uma experiência de qualidade durante a sua visita;
  • Proporcionar o acesso intelectual e emocional ao património, permitindo assim um desenvolvimento cultural;
  • Assegurar que o turismo ao aproveitar as vantagens económicas do património, estas também são utilizadas na sua conservação, criando recursos, desenvolvendo a educação e reorientando as políticas;
  • Assegurar que o turismo suporta e não reduz a qualidade de vida dos habitantes locais;
  • Estimular  a oferta de produtos turísticos culturais que permitam às comunidades locais de acolhimento e aos visitantes descobrir e compreender as qualidades específicas do património em questão, o seu significado;
  • Aumentar os benefícios do turismo na economia local;
  • Fomentar a participação e a cooperação entre todos os atores do processo – comunidades de acolhimento, os conservadores de museus e de monumentos, os operadores turísticos, os gestores de sítios culturais e naturais, os proprietários privados, os responsáveis pela elaboração de programas de desenvolvimento e os políticos, em prol da sustentabilidade;
  • Monitorizar os fluxos de visitantes para reduzir os impactos negativos;

A autenticidade

A procura do turismo cultural apresenta acréscimos em toda o Mundo, o que também se projeta na produção de bens culturais, patrimoniais e artísticos, potenciando assim uma maior rentabilidade económica, politica, social e cultural dos bens culturais e do património.

O turismo cultural tem então um impacto importante no desenvolvimento e na produção cultural.

O grande desafio que se coloca às sociedades que recebem grandes fluxos de turistas culturais passará a centrar-se na própria produção cultural.

E a tentação de criar produtos “culturais” de consumo turístico imediato é grande. Devemos ter em conta que a forma de garantir a sustentabilidade futura do turismo cultural é garantindo a autenticidade da produção cultural.

Momento de viragem para o turismo cultural

O lema do Dia Internacional do Turismo da edição de 2021 (27 de setembro) define bem o conceito de turismo atualmente.

Turismo para um crescimento inclusivo

A declaração do Secretário Geral das Nações Unidas neste dia reflete a importância deste setor de atividade e, neste tempo de viragem,  a necessidade de o turismo ser encarado como um verdadeiro fator de desenvolvimento e de crescimento sustentável.

No Dia Mundial do Turismo, reconhecemos o poder e o potencial do turismo para promover a prosperidade e impulsionar o desenvolvimento inclusivo e sustentável. O setor do turismo atinge quase todas as partes de nossas economias e sociedades, permitindo que as pessoas historicamente marginalizadas e as que correm o risco de ficar para trás beneficiem de um desenvolvimento local e direto.

O turismo continua a sofrer enormemente com a pandemia COVID-19: nos primeiros cinco meses deste ano, as chegadas de turistas internacionais diminuíram em surpreendentes 95 por cento em certas partes do mundo e as previsões sugerem uma perda de mais de US $ 4 trilhões para o PIB global no final de 2021. Este é um grande choque para as economias desenvolvidas, mas para os países em desenvolvimento é uma emergência.


A mudança climática também está a afetar severamente muitos dos principais destinos turísticos, particularmente os Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento, onde o turismo é responsável por quase 30% da atividade económica.

Com muitos milhões de meios de subsistência em risco, é hora de repensar, transformar e reiniciar o turismo com segurança. Com as salvaguardas corretas em vigor, o setor do turismo pode proporcionar empregos decentes, ajudando a construir economias e sociedades resilientes, sustentáveis, com igualdade de género e inclusivas que funcionem para todos. Isso significa ação direcionada e investimento para mudar para o turismo verde - com os setores de alta emissão, incluindo transporte aéreo e marítimo e hospitalidade, caminhando para a neutralidade de carbono.

E significa dar a todos uma palavra a dizer sobre como o turismo molda o futuro das nossas sociedades e de nosso planeta. Somente por meio da tomada de decisão inclusiva podemos garantir um crescimento inclusivo e sustentável, cumprir a promessa dos ODS e transformar o turismo para cumprir seu potencial como um motor de prosperidade, um veículo de integração, um meio de proteger nosso planeta e a biodiversidade, e um agente de compreensão cultural entre os povos.

António Guterres, Secretário Geral das Nações Unidas

Conheça os cursos da área do património cultural e turismo cultural

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu