Tarsila do Amaral para crianças | as exposições de arte como recurso educativo

Hoje divulgamos mais uma exposição imersiva Tarsila do Amaral para crianças que irá decorrer em São Paulo, Brasil, no espaço Farol Santander.

Pode ler mais detalhes sobre esta exposição mais abaixo neste artigo.

Mas Tarsila do Amaral para crianças pode ser também mais uma oportunidade para refletirmos sobre alguns assuntos que temos tratado no nosso blogue. Particularmente no respeitante à curadoria de arte e museologia. E claro, uma forma de conhecer melhor esta fascinante artista brasileira – Tarsila do Amaral. Pode ler mais sobre a pintora neste artigo.


Para conhecer a arte no Brasil da pré história à época contemporânea, conheça o curso online.


Tarsila do Amaral para crianças | a exposição de arte enquanto recurso educativo e social

O papel da arte na educação infantil

As exposições de arte são um importante coadjuvante na educação infantil. Esta exposição – Tarsila do Amaral para crianças – dá  a conhecer uma das mais importantes artistas brasileiras ao público infantil. Mas mais, o seu formato imersivo associado a espaços de lazer inspirados nas obras permite uma relação estreita com as mesmas. As crianças são convidadas não só a apreciar mas igualmente a “entrar” e “fazer parte” das obras em si.

A função educativa e social das exposições

As exposições de arte podem pois ser um espaço de conhecimento e de sensibilização para o património e identidade cultural. E importantes coadjuvantes educativos na transmissão de conceitos relacionados com a cor e as formas.

Tarsila do Amaral para crianças surge na sequência de uma das exposições com maior afluência realizada no Brasil. Leia aqui o artigo sobre a exposição Tarsila Popular.

Esta nova exposição sobre a artista tem como público alvo as crianças mas obviamente e sobretudo o público “famílias”. Aumentar  o acesso e a participação das famílias em eventos artísticos e culturais é cada vez mais um dos grandes objetivos dos espaços culturais e museológicos. Cumprirão assim o papel social e de interação com a comunidade que lhes compete.

Os novos caminhos da curadoria de arte na era digital

Tal como muitas exposições imersivas, Tarsila do Amaral para crianças não expõe nenhuma obra da artista.

Cada vez mais assistimos a exposições imersivas com recurso a meios digitais e cenográficos. O enfoque destas exposições não é mais na obra de arte enquanto objeto físico mas sim no processo de comunicação e de relacionamento do público com a obra de arte.

O desafio que se coloca ao curador de arte atualmente é muito mais difícil mas também fascinante. A relação dos públicos com as obras já não é somente de apreciação e fruição. Os públicos da exposições de arte e museus esperam participação e vivência. O curador de arte tem de ser hoje um verdadeiro mestre da comunicação pois é nesta que reside o sucesso de uma exposição.

Pode saber mais sobre o processo de curadoria de arte aqui.


Informação sobre a exposição de Tarsila do Amaral para crianças

Notícia publicada na Veja SP em 18 de novembro 2019. Ver notícia.

Exposição com 490 metros quadrados será dividida em sete ambientes temáticos e fica em cartaz até fevereiro de 2020

Na terça-feira, dia 26 de novembro, o Farol Santander inaugura a mostra Tarsila para Crianças. Dividida entre os pisos 19 e 20 do prédio, as sete estações temáticas totalizam cerca de 490 metros quadrados. Não há, no entanto, nenhum quadro original de Tarsila do Amaral.

A exposição imersiva tem projeto assinado pela YDreams Global e curadoria da sobrinha-neta Tarsilinha, Patrícia Engel Secco e Karina Israel. Recursos cenográficos, como almofadas e lustres, são usados para dar ao visitante a sensação de caminhar entre as obras.

Organização da exposição sobre Tarsila do Amaral

Você encontrará quatro estações no vigésimo andar do Farol Santander. A primeira delas, Vila dos Sentidos, remete à infância da artista na fazenda em São Bernardo. Com inspiração no quadro A Feira, há quatro casinhas rodeadas por cestos de frutas. Em cada uma delas, está uma característica marcante da infância da pintora, como seu quarto com caixinha de música, a sala de estar com piano, fotos de família e seu perfume favorito.

Tarsila do Amaral para crianças A Cuca 1924

A Cuca 1924

No segundo ambiente, inspirado em A Cuca, o público encontra projeções dos seres imaginários da obra.

Também estão nesse andar áreas inspiradas em Cartão Postal, Urutu, O Touro e Floresta. Este último tem uma versão tátil, pensada para pessoas com deficiência visual.

Tarsila do Amaral para crianças exposiçãoNo andar de baixo, há mais três ambientes. O primeiro deles, o Jardim Afetivo, utiliza animações e sons que remetem aos quadros O Sapo, Estação de Ferro, A Boneca e Passagem com Touro I. Alguns dos sons utilizados são os ruídos da estação de ferro, da caixinha de música, o coaxar do sapo e barulho de grilos.


A sua opinião:

O que pensa sobre os novos desafios colocados no que respeita aos processos de comunicação com os públicos? Será que as ferramentas digitais põem em causa a importância da obra per si?

Pode partilhar a sua opinião ou experiências nos comentários.

Muito obrigada!

 

Fátima Muralha

Fátima Muralha

Licenciada em história, opcional história de arte. Pós graduação em gestão e valorização do património, especialização em gestão de projetos culturais. Vários cursos de especialização na área da valorização do património, gestão de projetos, museologia e formação profissional. Coordenação de vários projetos ligados ao património histórico e artístico. Autora de várias publicações e comunicações. Criação e coordenação do projeto Citaliarestauro.com.

Conheça os cursos da área do património e educação

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu