Conheça a enigmática Praça de Bernini com as suas 2 “Piazzas” e 140 estátuas

Praça de Bernini | Basílica de São Pedro

1.2.3 Vista da cúpula sobre a Praça de S. Pedroweb

Por encomenda do papa Alexandre VII (1655-1667), Bernini criou um espaço que antecede a basílica, constituído por duas praças ligadas entre si: a piazza retta em trapézio, limitada pelos edifícios laterais, que se alarga para a basílica sublinhando ligeiramente as suas dimensões que ainda nos parecem maiores com esta ilusão ótica. E a piazza obliqua, de forma elíptica com duas grandes alas abertas em semicírculo, estendidas para acolher os visitantes como se fossem braços abertos (que dá ao conjunto a forma de chave) emoldurada por uma colunata dórica de quatro filas, num total de 284 colunas e 88 pilastras.

Autora: Diana Ferreira

Apesar das suas gigantes proporções (320 metros de profundidade por 240 de diâmetro) parece atualmente insuficiente para os fiéis e a sua forma elíptica, que se alarga gradualmente, contribui para que o edifício pareça ainda mais monumental.

 

Composição da Praça de Bernini

Esta composição cenográfica da colunata é decorada com as armas e inscrições que evocam o papa Alexandre VII e encimada por 140 estátuas com 3,10 metros (executadas por volta de 1670 pelos alunos de Bernini) de santos, mártires, bispos, doutores da Igreja, papas e fundadores de ordens religiosas que desejam do topo da colunata com mais de 17 metros as boas-vindas a todos os cristãos.

As colunas, assim como as linhas de pedras brancas no pavimento que conduzem ao centro da praça, revelam uma modelação renascentista que o artista barroco trouxe aqui com o intuito de encaixar com o conjunto de base clássica e onde inseriu curvas elípticas barrocas, numa das mais esplendidas realizações de Bernini.

Obelisco da Praça de Bernini

Ao centro podemos observar um obelisco egípcio de granito de um único bloco, assente sobre as costas de quatro leões de bronze.

Possui uma altura de 25 metros, mais 8 de base e foi trazido para Roma em 37 d.C. por Calígula e colocado no seu circo, que passou posteriormente a ser de Nero (na localização da basílica). Em 1586 Sisto V encarregou Domenico Fontana de colocá-lo na posição atual.

Acredita-se que à sua sombra tenha sido crucificado S. Pedro e que conservasse as cinzas de Júlio César. Não tem hieróglifos, apenas caracteres latinos e foi ereto no Egito em honra do sol pelo faraó Amenemhet II (1985-1929 a.C.), como agradecimento pela recuperação da sua visão.

Para transportar as suas 330 toneladas foram necessários sete meses de preparação, demolir casas, 907 homens, 75 cavalos e 40 guinchos.

Conheça os cursos de turismo cultural

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu