Contexto histórico do barroco | ou contextos?

Newsletter

Quando falamos em contexto histórico do barroco temos de colocar uma questão.

“Por que falamos em contextos do surgimento do barroco e não, simplesmente, em contexto?”

Por Teresa Campos dos Santos, autora do curso online Um Roteiro do Barroco.

Na verdade, o barroco, à semelhança de muitos outros movimentos artísticos (como comumente os designamos), surgiu sob diversas motivações e, logo, contextos.

Porém, primeiramente, será pertinente concentrarmo-nos na definição de movimento, particularmente daquele que nos encontramos a tratar: o Barroco.

O Contexto histórico do barroco – Na “cronologia dos estilos”

David Bernini

O Barroco

 

 

 

 

David, de Bernini, 1623-1624 (Galeria Borghese, Roma)

https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Bernini%27s_

David.jpg

 

 

sucede ao RenascimentoDavid Miguel Angelo

 

 

 

 

 

David, de Miguel Ângelo, 1501-1504

(Accademia di Belle Arti di Firenze)

Fonte: https://commons.wikimedia.org/wiki/

File:David_von_Michelangelo.jpg

 

 

 

Rapto das sabinas

Entre ambos, definiu-se ainda um outro gosto, o “Maneirismo” o qual, de algum modo, parece antecipar a linguagem barroca.

 

 

 

Rapto das Sabinas, Giambologna, 1581-1582

(Museu Nacional de Capodimonte)

https://commons.wikimedia.org/wiki/

File:Giambologna_raptodasabina.jpg

 

 

É, no entanto, importante lembrar que em qualquer um destes casos estamos a referir-nos a categorias criadas posteriormente para melhor definir, analisar e estudar determinados períodos históricos.

O contexto histórico do Barroco

Assim sendo, definindo o contexto histórico do Barroco , a arte produzida, grosso modo, entre o século XVII e as primeiras décadas do século XVIII insere-se no dito movimento barroco, o qual defendeu uma dada linguagem estética que, de certa forma, os artistas seguiram.

Contudo, tal significa que a arte realizada em todo o mundo durante este período se regeu pelos pressupostos do barroco?

Naturalmente que não. O barroco difundiu-se, sobretudo, pela Europa e pela América Latina, com uma diferente expressão consoante a geografia e a cronologia em que se manifestou.

A Vocação de São Mateus, Caravaggio

 

 

 

 

A Vocação de São Mateus, Caravaggio, 1599-1600 (Igreja São Luís dos Franceses, Roma)
Fonte: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Caravaggio,_Michelangelo_Merisi_da_-
_The_Calling_of_Saint_Matthew_-_1599-1600_%28hi_res%29.jpg

 

 

O Jardim de Amor, Rubens

 

 

 

O Jardim de Amor, Rubens, c. 1633 (Museu do Prado, Madrid)
Fonte: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:El_jard%C3%ADn_del_amor_Rubens_lou.jpg

 

 

Ronda Noturna

 

 

 

 

A Ronda Noturna, Rembrandt, 1642 (Rijksmuseum, Amesterdão)
Fonte: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:The_Nightwatch_by_Rembrandt.jpg

 

 

As meninas

 

 

 

As Meninas, Velásquez, 1656 (Museu do Prado, Madrid)
Fonte:https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Las_Meninas,_by_Diego_Vel%C3%A1zquez,_from_Prado_in_Google_Earth.jpg

 

 

 

 

 

 

Santa Ceia Ataide

 

 

Santa Ceia, Manuel da Costa Ataíde (Mestre Ataíde), 1828 (Colégio do Caraça, Minas Gerais)
Autor da imagem: User:Tetraktys
Fonte: htps://commons.wikimedia.org/wiki/File:Mestre-Athayde_-_Ceia_-_Car.jpg

 

 

Como é comum na história da arte, o estilo que sucede a um outro nasce, precisamente, com o propósito de se opor ao seu antecessor, ou seja, apresentar uma proposta estética diferente, caso contrário o seu surgimento não faria sentido.

O barroco não foi exceção e, por isso, se o renascimento recuperava os valores clássicos da harmonia e da proporção, o barroco trouxe a assimetria e o movimento.

Atentemos no seguinte texto de Heinrich Wölfflin:

Enquanto o espaço renascentista se reduz à superfície, o Barroco desenvolve-se em profundidade; daí o seubarroco dinamismo, que obriga o olhar a avançar e a retroceder, temendo sempre deixar escapar a forma; por isso, a insistência barroca nas linhas oblíquas, as curvas e as superfícies arqueadas que desfazem a perpendicularidade renascentista de horizontais e verticais; donde, os retorcidos e os movimentos impetuosos, a utilização dos efeitos luminosos e a dissolução de contornos na penumbra. O resultado é que a contemplação se torna impossível, ficando tudo subjugado à inquietação da emoção e do desejo.”

Mas porquê este interesse do barroco na “inquietação da emoção e do desejo”?

Os artistas associados às primeiras manifestações do barroco são italianos e Roma parece ter sido um dos principais berços deste movimento. Na realidade, porque o clima cultural, político e, acima de tudo, religioso o propiciou. Isto, porque o aparecimento do barroco é indissociável do movimento da Contra-Reforma em que a Igreja procurou aproximar ou reaproximar os crentes, após o afastamento sentido na sequência da Reforma protestante.
Assim, o barroco foi, em parte, uma linguagem ao serviço da Igreja e, por isso, usou da tal “emoção” e do tal “desejo” para reconquistar a admiração e a devoção dos crentes.
Também por isso teve como principal pólo de expansão Itália, sendo bem aceite nos países que com ela partilhavam afinidades religiosas, e menos bem aceite nas geografias mais próximas dos ideais luteranos.


Aprenda mais sobre história da arte

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu