Bansky: Génio ou Vândalo? Exposição chega a Lisboa

Certamente você já ouviu falar dele. Artista de rua cuja identidade é desconhecida, Banksy é considerado polêmico, revolucionário, rebelde e, como não poderia deixar de ser nesses casos, um gênio. Pelo menos é essa uma das leituras que propõe a exposição Banksy: Genius or Vandal.


Bansky 1

 

Talvez você ainda se lembre da última aparição notória do artista – se é que podemos chamar de aparição a atuação de um artista sem rosto.

Durante o leilão da Sotheby’s, em outubro de 2018, a icônica obra Menina com Balão se transformou na mais icônica ainda O Amor Está no Lixo ao ser picotada logo após a venda. A provocação foi maior que o valor do arremate: mais de um milhão de euros.

Bansky 2

Exposição – Bansky

A nova exposição, que tem curadoria de Alexander Nachkebiya, é uma mostra de obras que vão desde trabalhos de grafite à serigrafia, além de vídeos e fotografias. Cerca de 70 obras originais de Banksy compõem o acervo da exposição, que já passou pela Rússia e pela Espanha.

O mais interessante, no entanto, é que essa exposição (como as demais) não é autorizada por Banksy. Em seu site, ele diz que as exposições – não apenas a de Portugal – não tem seu aval e que foram organizadas “sem o conhecimento e envolvimento do artista”. Depois de avisar que a exposição não é consensual, Banksy pede que o público trate-a “de acordo”.

Logo abaixo, é possível ver as datas e preços de todas as exposições previstas e em andamento. Não parece uma estratégia de marketing genial?

Bansky 3

Gênio ou Vândalo?

O fascínio que Banksy exerce no mundo da arte contemporânea é proporcional às críticas feitas ao artista. Se há quem o veja como um visionário e revolucionário, há quem considere que o artista nascido em Bristol, Londres, não passe de um vândalo. Nesse ponto, porém, ele é incisivo:

Grafitar é, na verdade, uma das mais honestas formas de arte disponíveis. Não existe elitismo ou badalação, o grafite fica exposto nos melhores muros e paredes que a cidade tem a oferecer e ninguém fica de fora por causa do preço do ingresso. Um muro sempre foi o melhor lugar para divulgar seu trabalho. As pessoas que mandam nas cidades não entendem o grafite, porque acham que nada tem o direito de existir se não gerar lucro, o que torna a opinião delas desprezível”. (trecho do livro Guerra e Spray, publicado em 2012 no Brasil pela editora Intrinseca).

Bansky 4


Seja como for, uma coisa é certa sobre Banksy: ele é um ícone da arte contemporânea, e o mercado de arte sabe bem disso – incluindo colecionadores, galerias e casas de leilão. Banksy construiu ao longo do tempo, e com uma identidade oculta, uma discussão sobre a apropriação mercadológica que sempre beira a provocação e o cinismo.

 

Rute-Ferreira

Rute Ferreira

Sou professora de Arte, com formação em Teatro, História da Arte e Museologia. Também sou especialista em Educação à Distância e atuo na educação básica. Escrevo regularmente no blog do Citaliarestauro.com e na Dailyartmagazine.com.  Acredito firmemente que a história da arte é a verdadeira história da humanidade.

Conheça os cursos e e-books da autora

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu