Bansky: Génio ou Vândalo? Exposição chega a Lisboa

Newsletter

Certamente você já ouviu falar dele. Artista de rua cuja identidade é desconhecida, Banksy é considerado polêmico, revolucionário, rebelde e, como não poderia deixar de ser nesses casos, um gênio. Pelo menos é essa uma das leituras que propõe a exposição Banksy: Genius or Vandal.


Bansky 1

 

Talvez você ainda se lembre da última aparição notória do artista – se é que podemos chamar de aparição a atuação de um artista sem rosto.

Durante o leilão da Sotheby’s, em outubro de 2018, a icônica obra Menina com Balão se transformou na mais icônica ainda O Amor Está no Lixo ao ser picotada logo após a venda. A provocação foi maior que o valor do arremate: mais de um milhão de euros.

Bansky 2

Exposição – Bansky

A nova exposição, que tem curadoria de Alexander Nachkebiya, é uma mostra de obras que vão desde trabalhos de grafite à serigrafia, além de vídeos e fotografias. Cerca de 70 obras originais de Banksy compõem o acervo da exposição, que já passou pela Rússia e pela Espanha.

O mais interessante, no entanto, é que essa exposição (como as demais) não é autorizada por Banksy. Em seu site, ele diz que as exposições – não apenas a de Portugal – não tem seu aval e que foram organizadas “sem o conhecimento e envolvimento do artista”. Depois de avisar que a exposição não é consensual, Banksy pede que o público trate-a “de acordo”.

Logo abaixo, é possível ver as datas e preços de todas as exposições previstas e em andamento. Não parece uma estratégia de marketing genial?

Bansky 3

Gênio ou Vândalo?

O fascínio que Banksy exerce no mundo da arte contemporânea é proporcional às críticas feitas ao artista. Se há quem o veja como um visionário e revolucionário, há quem considere que o artista nascido em Bristol, Londres, não passe de um vândalo. Nesse ponto, porém, ele é incisivo:

Grafitar é, na verdade, uma das mais honestas formas de arte disponíveis. Não existe elitismo ou badalação, o grafite fica exposto nos melhores muros e paredes que a cidade tem a oferecer e ninguém fica de fora por causa do preço do ingresso. Um muro sempre foi o melhor lugar para divulgar seu trabalho. As pessoas que mandam nas cidades não entendem o grafite, porque acham que nada tem o direito de existir se não gerar lucro, o que torna a opinião delas desprezível”. (trecho do livro Guerra e Spray, publicado em 2012 no Brasil pela editora Intrinseca).

Bansky 4


Seja como for, uma coisa é certa sobre Banksy: ele é um ícone da arte contemporânea, e o mercado de arte sabe bem disso – incluindo colecionadores, galerias e casas de leilão. Banksy construiu ao longo do tempo, e com uma identidade oculta, uma discussão sobre a apropriação mercadológica que sempre beira a provocação e o cinismo.

 

Rute-Ferreira

Rute Ferreira

Sou professora de Arte, com formação em Teatro, História da Arte e Museologia. Também sou especialista em Educação à Distância e atuo na educação básica. Escrevo regularmente no blog do Citaliarestauro.com e na Dailyartmagazine.com.  Acredito firmemente que a história da arte é a verdadeira história da humanidade.

Conheça os cursos e e-books da autora

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu