turismo e patrimônio cultural | uma relação benéfica e duradoura

Como tornar benéfica e duradoura a relação entre turismo e patrimônio cultural ?

Que estratégias adotar para que a interação entre  turismo e patrimônio cultural seja sustentável e equilibrada?

 

Turismo cultural

O turismo cultural centra-se na apreciação do património histórico-cultural e artístico de uma determinada região/destino e é uma modalidade de turismo cuja motivação ocorre frequentemente em conjugação com a realização de encontros artísticos, científicos, de formação e de informação.

O turista cultural é motivado pela busca da diferença, pela realização pessoal, esta procura vai muito além dos museus, monumentos e passa pela imagem, por um estilo de vida.

[siteorigin_widget class=”SiteOrigin_Widget_Cta_Widget”][/siteorigin_widget]

Relação turismo e patrimônio cultural

Do curso Online: Técnicas para a Interpretação do Patrimonio

e de acordo com a Carta do Icomos sobre Turismo Cultural.


Para que a interação entre turismo e patrimônio cultural seja benéfica, sustentável e duradoura há que seguir a seguinte estratégia:

  • Proteger, conservar, interpretar e divulgar o património e a diversidade cultural de cada lugar ou região;
  • Providenciar aos visitantes uma experiência de qualidade durante a sua visita;
  • Proporcionar o acesso intelectual e emocional ao património, permitindo assim um desenvolvimento cultural;
  • Assegurar que o turismo ao aproveitar as vantagens económicas do património, estas também são utilizadas na sua conservação, criando recursos, desenvolvendo a educação e reorientando as políticas;
  • Assegurar que o turismo suporta e não reduz a qualidade de vida dos habitantes locais;
  • Estimular  a oferta de produtos turísticos culturais que permitam às comunidades locais de acolhimento e aos visitantes descobrir e compreender as qualidades específicas do património em questão, o seu significado;
  • Aumentar os benefícios do turismo na economia local;
  • Fomentar a participação e a cooperação entre todos os atores do processo – comunidades de acolhimento, os conservadores de museus e de monumentos, os operadores turísticos, os gestores de sítios culturais e naturais, os proprietários privados, os responsáveis pela elaboração de programas de desenvolvimento e os políticos, em prol da sustentabilidade;
  • Monitorizar os fluxos de visitantes para reduzir os impactos negativos;

Em suma, podemos afirmar que é necessário adotar uma estratégia com base na proteção, conservação, interpretação e divulgação e, ao mesmo tempo, criar experiências capazes de cativar os visitantes.


[siteorigin_widget class=”Thim_Courses_Widget”][/siteorigin_widget]
[siteorigin_widget class=”WP_Widget_Custom_HTML”][/siteorigin_widget]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu