como preparar um projeto de fontes históricas orais

Neste artigo vamos sistematizar as linhas guia para um projeto baseado em fontes históricas orais .

Baseado no curso online História Oral, por Yolanda Silva.


Tal como em qualquer outra área, um projecto baseado em  fontes históricas orais começa com uma ideia. Aqueles mais acostumados à prática da história oral, certamente terão menos dificuldades em organizar-se.

Para saber o que é a história oral.

Definimos aqui algumas linhas-guia pelas quais todos se podem orientar quando da preparação de um projecto de história oral.

Escolher um projecto baseado em fontes históricas orais

Para organizar as ideias, antes de começar a trabalhar as fontes históricas orais, podemos perguntar-nos:

  • Qual(ais) o(s) objectivo(s) pretendido(s) com este projecto?
  • Como é que o meu projecto contribui para a compreensão, gestão e conservação do património cultural (dentro de uma instituição ou não)?
  • Como é que o meu projecto contribui para a percepção e conhecimento do património cultural por parte do público geral?
  • Que pesquisa de preparação devo executar? Onde posso procurar?
  • Quem vou entrevistar? Por quê? Como? Onde?
  • Os entrevistados que proponho envolver no meu projecto serão beneficiados? A que nível?
  • O projecto está bem suportado em termos financeiros, de recursos humanos, de equipamento e de tempo?:

Preciso de fundos? Onde é que os posso obter?

Sei com quem e com que materiais e equipamentos vou trabalhar neste projecto?

Tenho noção da duração prevista?

  • Como irei promover o meu projecto?
  • O que farei com os materiais recolhidos (gravações, vídeos e documentação associada) uma vez concluído o projecto?
  • Como vou arquivar, onde e sob que tutela?

Esta série de perguntas pode ser usada no início do projecto, assim como ao longo das várias fases do mesmo, de modo a garantir que estamos a manter-nos no caminho certo.

Além do mais, podemos aplicá-las a diferentes tipos de trabalhos no âmbito da história oral, desde projectos escolares, à recolha de informação destinada a arquivo para profissionais da área de investigação histórica.

Conheça a organização internacional Oral History Society.

um pequeno percurso pelas etapas de um projeto baseado em fontes históricas orais

Pesquisa e mapeamento do campo de acção

fontes históricas orais pesquisa

Depois de definir aquilo em que quer trabalhar, o historiador vai ter de procurar saber algo mais sobre o tema. Fá-lo-á através da pesquisa das fontes históricas orais.

A pesquisa preliminar é fundamental para o projecto. Permite desenvolver um melhor entendimento daquilo que propomos estudar, do período de tempo em que tomou parte, do(s) local(ais) e temas envolventes.

Com base na informação que conseguiu recolher, terá de mapear o seu campo de acção. Basicamente, significa que vai definir o(s) local(ais) de relevância para o seu estudo de história oral . Afinal, as memórias das pessoas estão relacionadas com os lugares onde estiveram, onde viveram, por onde passaram.

Quem entrevistar e como abordar o público num projeto de história oral

fontes históricas orais

A griô (ou griotte) quilombola Marilda de Souza a contar aos estudantes a história da comunidade quilombola e do esclavagismo das fazendas negreiras no litoral do Brasil imperial. Apresentação do projecto Passados Presentes (Novembro de 2015), no Quilombo do Bracuí (Rio de Janeiro, Brasil).

 

Esta é possivelmente a pergunta mais fácil de responder, porque talvez até já tenhamos sido abordados antes de iniciar o nosso projecto, ou talvez uma comunidade já tenha despertado o nosso interesse previamente.

Então, e se os contactos dos indivíduos foram devidamente anotados e arquivados, tudo o que nos resta fazer é procurar estabelecer o primeiro contacto e saber até que ponto estarão interessados em contribuir para o projecto em desenvolvimento.

Onde ir

O local ou paisagem envolvente podem assumir grande importância na recolha de fontes históricas orais , pelas memórias a estes associadas. Alguém que tenha conhecido em primeira mão determinado local, edifício ou paisagem pode contribuir valiosamente para a identificação e caracterização de uma função, ocupação ou relação que possa existir, através das histórias que nos contar.

Socorrermo-nos de um mapa, ou mesmo realizar a entrevista parcial ou totalmente num ou mais locais de interesse para o nosso projecto pode revelar-se uma mais-valia, quando comparado a uma entrevista numa sala de estar ou escritório.

Organização da informação prévia e documentação de apoio

Essencialmente, a informação prévia ao processo das entrevistas consiste num resumo claro e conciso que permitirá uma compreensão futura dos documentos a ser criados no decurso da fase seguinte. As notas do entrevistador/historiador ajudarão o próprio transcritor ou outros colegas historiadores e investigadores (ou outros futuros usuários) a melhor entender a entrevista, o entrevistado e os contextos.

História oral | Curso online

O curso online história oral apresenta as linhas-guia essenciais para a realização de um projeto de história oral e para a realização de entrevistas de história oral assim como as principais problemáticas que poderão surgir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu