A evolução da fotografia | o papel de impressão fotográfica

Newsletter

Um dos aspetos mais importantes na evolução da fotografia foram as Provas em Papel de impressão de revelação.

Neste artigo vamos conhecer o papel de impressão fotográfica para revelação a preto e branco, as suas variedades e a sua importância na evolução da fotografia.

Não perca ainda o vídeo sobre viragem do papel revelação, uma técnica utilizada nas fotos a preto e branco.

Texto: Yolanda Silva, do curso online História da Fotografia.

A evolução da fotografia | Provas em Papel de impressão de revelação

papel de impressão fotográfica para revelação a preto e branco tem entrada no mercado pelos anos de 1880, crescendo em consumo até final de oitocentos. é um dos grandes passos na evolução da fotografia e é o papel mais vendido a partir de 1905 e até 1970, quando é suplantado pelo processo a cores cromogéneo.

Este incremento deve-se ao próprio desenvolvimento do negativo de pequeno formato. Por outro lado, o papel de revelação permitia a revelação com luz artificial e a ampliação das imagens. Estas eram reproduzidas por acção química do revelador, o que aumentava muito mais a sua fotossensibilidade.

O fotógrafo não requeria mais que uma exposição de segundos sob uma luz artificial e um pequeno ampliador caseiro possibilitava a ampliação do negativo. Qualquer fotógrafo profissional ou amador poderia fazê-lo.

[siteorigin_widget class=”SiteOrigin_Widget_Cta_Widget”][/siteorigin_widget]

Tipos de papel revelação

papel de revelação usado era o papel de barita, fabricado industrialmente e produzido em diferentes gramagens, superfícies e cores (poderia ser mais fino ou cartonado; mate, brilhante, perlado,…; apresentado em branco, creme, amarelo, ou outra cor).

Era produzido com emulsão de cloreto de prata, brometo de prata e cloro-brometo de prata, cada uma tendo características um pouco diferentes entre si. Resumindo, podemos apontá-las da seguinte forma:

Emulsão de gelatina e cloreto de prata:

– Não era suficiente rápida para permitir a ampliação, sendo usada para imprimir provas de contacto à luz do gás (o papel era vulgarmente designado de papel para luz do gás por esta razão);

– Imagem resultava negra, mas um tanto azulada;

– Emulsão foi comercializada até 1960 (um dos nomes mais difundidos foi a marca Velox);

             ♦Emulsão de gelatina e brometo de prata:

– Das três emulsões esta é a mais fotossensível, podendo ser facilmente usada para ampliações com luz artificial;

– Papel preto e branco mais consumido no século XX;

– Tem tons frios, com um desvio para o azul;

– São exemplos comerciais contemporâneos: Agfa BroviraIlfobrom e Kodak Elite;

            ♦Emulsão de gelatina e cloro-brometo de prata:

– Comercializada desde 1883 e ainda em produção pelos 1990s;

– Resulta numa imagem de cor neutra, de tons mais quentes que aqueles do papel de brometo (a cor pode ser controlada dependendo do revelador usado);

– Alguns exemplos comerciais: Agfa Protriga Rapid e Record RapidFortePorturex Rapid.

Uma vez introduzida a fotografia a cor (1960-70), a fotografia a preto e branco começa a decair e alguns dos papéis anteriormente comercializados saem do mercado, pela falta de procura. A evolução da fotografia toma agora o rumo da fotografia colorida.

No video seguinte veja em que consistia a a viragem do papel revelação. Este processo permitia criar efeitos “coloridos” em fotos a preto e branco.


Conheça a evolução da fotografia no curso História da Fotografia

Lição 1 : Introdução – O que é uma fotografia e o que a compõe,qual o contexto em que surgem as primeiras fotografias.

 a.      O Homem como produtor de imagens

 b.      A Fotografia: o que é e o que a compõe 

Lição 2 : 1839 – 1855 – Os primeiros grandes avanços dos processos fotográficos

 a.      O Daguerreótipo

 b.      O Calótipo

Lição 3 : 1855 – 1880 – As exigências do processo fotográfico determinam que o material de suporte mais adequado para o negativo deverá ser estável, transparente, ter uma superfície plana e polida e, simultaneamente, ser económico. Assim, era necessário a utilização de um meio ligante. 

 a.      A Albumina

 b.      O Colódio Húmido

 c.       A utilização de negativos de colódio para provas de albumina

Lição 4 : 1880 – 1910 – Os avanços da produção industrial

 a.      A Produção Industrial

           i.            A utilização da gelatina

           ii.            Provas de papel directo

Lição 5 : 1910 – 1970 – Após os avanços tecnológicos das décadas anteriores, era necessário criar um meio de suporte mais fácil e acessível ao transporte. Simplificaram-se os processos e agora simplificava-se o suporte.

 a.      Negativos em película

 b.      Provas em Papel de impressão de revelação

 c.       Fotografia alternativa

Lição 6 : 1970 aos nossos dias – O objectivo final assumido agora pelos fotógrafos era a fotografia a cores. 

 a.      O Autochrome

 b.      A Prova Cromogénea

 c.       Provas não cromogéneas

 d.      A Fotografia Digital

1 Comentário. Leave new

  • WALTER HUMBERTO LUCAR SANTILLAN
    02/03/2022 21:23

    MEU NOME É WALTER, JA TRABALHEI MUITOS ANOS ATRAZ COM VENDA DE SERVIÇOS DE AMPLIAÇÃO DE FOTOGRAFIAS FAMILIARES, GUARDO MUITAS LEMBRANÇAS E EMOÇÕES DESTE TIPO DE TRABALHO. GOSTARIA PEDIR A V.SAS.O FAVOR DE INDICARME COMO POSSO ENCONTRAR PROFISSIONAIS NESTE CAMPO DE AMPLIAÇÕES E REPRODUÇÕES FOTOGRAFICAS. A VERDADE É
    QUE NÃO QUERO PERDER ESTA OPORTUNIDADE ATRAVÉS DE VOCES, DE REENCONTRAR E VOLVER A TRABALHAR NESTA AREA QUE É SUPER PLACEROSA E PRODUTIVA. MUITO AGRADECIDO. AGUARDO RESPOSTA. WALTER SANTILLAN

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu