Dadaísmo – conheça este movimento artístico de vanguarda

Dadaismo ou Movimento Dada

O dadaismo surgiu na Suíça, em plena Primeira Guerra Mundial.

Durante este período, a Suíça manteve-se neutral, acabando por albergar numerosos intelectuais, que pretendiam ali refugiar-se dos horrores da guerra.

A força criadora é densa e, fruto do ambiente de conflito, é caracterizada pela revolta e pelo niilismo.

O Cabaret Voltaire, em Zurique, foi o lugar de reunião dos artistas que viriam a criar o Dadaísmo.

 

dadaísmo Placa Cabaret Voltaire

Placa Cabaret Voltaire

Alguns destes artistas: Tristan Tzara, Hugo Ball e Hans Harp.

O grupo pretendia ser mais uma reacção à sociedade burguesa do que estilo artístico per se.

Ao invés dos movimentos de vanguarda antecedentes, cuja designação explicava de alguma forma a sua essência criadora, Dada não tenta criar um estilo e não quer (de modo nenhum) satisfazer o público.

O Dadaísmo atribui poder ilimitado ao artista, que pode fazer de qualquer material, objecto ou amálgama do que seja, a sua obra de arte – tudo em prole da busca por uma reacção do público.

Pintura das Vanguardas: Movimento Dada, Surrealismo, Pintura Metafísica e Abstracionismo

Curso online com certificado

O Manifesto Dadaísta de 1916 determina as linhas-guia do movimento:

  • Retorno do artista ao trabalho artesanal;
  • Anonimato do artista dentro da comunidade;
  • Fim do compromisso arte/mercado;
  • Sínteses de todas as artes na arquitectura;
  • Estímulo individual no ensino da arte.

Os processos de desconstrução e destruição da imagem foram usados com o propósito de recriar.

O artista Dada era convidado a usar a sua imaginação ao nível mais extremo e absurdo, dando força a uma fonte de imaginação inesgotável, perfeitamente espontânea, primitiva e, até, inconsciente e irracional.

É daí que surgem as novas propostas técnicas dos dadaístas, que, a fim de melhor explorar o incongruente e o inusitado, fizeram uso de:

  • Ready-made (usado por Marcel Duchamp e consistindo na descontextualização de um objecto do seu local original e próprio para outro, puramente estético).

Dadaísmo Fonte, Marcel Duchamp, 1917

  • Object trouvé (em francês: objecto encontrado; é um elemento tridimensional aleatório – como botões, caixas de fósforos, arames, cordéis, etc. –, colado sobre a tela e, por vezes, combinado com colagens).

 

  • Merzbilder (usado por Kurt Schwitters, define uma obra composta por vários elementos díspares e casuais retirados do quotidiano e reunidos numa tela, à qual o artista acrescenta cor)
  • Dadaísmo Das Undbild, 1919, Staatsgalerie Stuttgart

Das Undbild, 1919, Staatsgalerie Stuttgart

  • Fotomontagens (integração de diferentes imagens fotográficas).

 

  • Rayographs (fotografia off camera de Man Ray: fotografias executadas sem máquina fotográfica, o artista utiliza apenas papel sensibilizado em contacto directo com os objectos).

 

  • Collage (reinvenção e combinação de papéis de natureza diversa – jornais, revistas, fotografias, bilhetes de espectáculos, etc. – e combinados com objects trouvés).

Conheça algumas das técnicas Plásticas utilizadas pelos artistas do dadaismo


Autoria: Yolanda Silva

Aprenda mais sobre as vanguardas artísticas europeias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu