Quem foi Maria Mãe de Jesus e como é representada na arte?

Newsletter

Maria Mãe de Jesus , também designada de Virgem Maria ou Nossa Senhora, é, por meio da sua maternidade a Jesus Cristo, uma figura de importante veneração na Igreja Cristã desde a época apostólica.

Por Yolanda Silva, do curso Online Iconografia (Jesus e Maria)

O interesse dos artistas, músicos e autores na sua figura foi crescente, principalmente a partir da época gótica.

Maria Mãe de Jesus 1

 Ícone da Virgem Maria com o São Jorge e São Teodoro. Mosteiro de Santa Catarina, no Monte Sinai (séc. VI/VII). 

http://en.wikipedia.org/wiki/File:Encaustic_Virgin.jpg

 

Quem foi Maria Mãe de Jesus ?

As referências bíblicas à sua pessoa não permitem, pelo seu número, congregar uma imagem coerente de quem Maria realmente foi.

Area iconografiaOs Evangelhos do Novo Testamento atestam à sua humildade e obediência da mensagem de Deus. Assim, a tradição da Igreja Católica desenvolveu em torno dela uma doutrina que faz de Maria um exemplo para todos os cristãos.

Também os stextos apócrifos de Pseudo Mateus, de Tiago e o Transitus Mariae nos dão informação sobre Maria.

 

O pouco que se descortina das fontes textuais diz-nos que pertencia à linhagem do rei David (por meio do seu casamento com José – Lucas 2, 4) e que era filha de Ana e Joaquim, tendo sido concebida também milagrosamente: os seus pais eram já idosos quando um anjo lhes anunciou que nasceria.

Com dois anos, foi apresentada ao Templo e com doze, casou com José (Lucas 1, 26-27).

A primeira referência que se encontra a Maria no Novo Testamento é a do episódio da Anunciação (Lucas 1, 26-38), em que se afirma que vivia em Nazaré e que estava noiva de José.

As fontes dizem-nos que rezava ou que tecia o manto do Templo de Jerusalém quando o Anjo Gabriel lhe apareceu, anunciando que dela nasceria o Salvador e que a sua prima também estava grávida, após o que Maria vai visitar Isabel. Em Lucas 1, 39-40, descreve-se este encontro (A Visitação).

A Visitação em iluminura.

Ilustração de Livro de Horas de Rouen (séc. XV).

Nas bandas laterais, podemos ver ainda representações do Pecado Original (Adão e Eva), do Abraço na Porta Dourada (Ana e Joaquim) e do casamento da Virgem (Maria e José).

 

Após o momento do nascimento de Jesus (Lucas 2, 1 e seguintes), Maria Mãe de Jesus aparece mencionada em numerosos episódios a par com o seu Filho, como:

  • A Apresentação ao Templo.

 

  • A Adoração dos Reis Magos.

 

  • A Fuga para o Egipto.

 

  • As Bodas de Canã (embora não se fale directamente o nome dela: João 2,1).

 

  • e os momentos envolventes à Crucificação de Jesus. Estes e aqueles referentes à Natividade são os episódios nos quais ela assume mais importância, mostrando a sua aceitação perante o nascimento, percurso de vida e morte dramática do seu Filho, que é o Salvador.

 

Giotto_-_Scrovegni_ Fuga para o Egito

A Fuga para o Egipto. Fresco de Giotto (Capela Scrovegni, em Pádua; séc.XIV)

http://en.wikipedia.org/wiki/File:Giotto_-_Scrovegni_-_-20-_-_Flight_into_Egypt.jpg


Conheça os cursos de análise de arte / iconografia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu