21 de Março | Dia Internacional da Cor

Newsletter

Dia Internacional da cor

No dia 21 de Março celebra-se o Dia Internacional da Cor e resolvemos assinalar a data. E o que é a Cor e como devemos olhá-la em presença de uma obra de arte?

Pedimos ajuda à colega Yolanda Silva, especialista em Análise de Obras de Arte, para algumas pistas sobre este tema: a Cor .

O que é a Cor?

 

A Cor como código

As cores são utilizadas como símbolos ou códigos nas mais variadas circunstâncias. Estes códigos de Cor, uma vez instituídos, passam a constituir uma nova linguagem para um grupo mais ou menos alargado de pessoas.

O exemplo mais conhecido será o dos semáforos (verde, amarelo, vermelho) mas outros existem. Vamos ver um caso. O da identificação das épocas litúrgicas da Igreja católica.

As cores dos diferentes momentos do ano litúrgico.

No final do século XII, o papa Inocêncio III estabeleceu regras quanto às cores usadas:

Iconografia dos Santos– branco – dias de festa, consagrações, coroações e acontecimentos importantes;

vermelho – significando sangue, seria usado para a Paixão de Cristo e martírios dos Apóstolos e outros Santos;

– verde – momentos definidos antes da Quaresma e depois da Santíssima Trindade;

 brocado de ouro – substituía o branco, o vermelho ou o verde;

– violeta e preto – significavam luto, sendo o preto para funerais e missa de defunto e o violeta para penitência (hoje em dia, o violeta substituíu totalmente o preto).

 O cor-de-rosa e o amarelo caíram em desuso e o azul-celeste é usado, sob autorização da Santa Sé, em Portugal nas Festas da Imaculada Conceição (a 8 de Dezembro), tido que é a padroeira deste país.

A Cor na arte

A Cor é luz refletida sobre os objetos. Tem como características principais: matiz, saturação, luminosidade e brilho. Podemos, ainda, descrever a cor como quente ou fria, dependendo do lado do espectro a que pertence.

Saturação refere-se à definição da intensidade da cor. Os artistas usam a saturação da Cor para criar diferentes humores: por exemplo, cores mais escuras sugerem falta de luz (noite ou cena de interior), e cores escuras podem frequentemente dar uma sensação de mistério. Uma cor clara está associada a uma fonte de luz ou à própria luz reflectida na composição (como uma lamparina, por exemplo).

imagem CorSaint-Séverin No. 2, Robert Delaunay (Instituto das Artes de Minneapolis, EUA)

O brilho descreve a pureza ou a força de uma cor. Cores brilhantes são não diluídas e são frequentemente associadas com energia positiva e emoções intensas. Cores mais «apagadas» foram diluídas, misturadas com outras cores, criando um ambiente mais grave, solene ou calmo.

Em pintura a utilização de uma “mancha” de Cor é frequentemente utilizada pelos artistas para chamar o observador para a figura principal da cena.

Nestas duas representações da Anunciação podemos observar que o manto colorido pretende chamar a atenção para a personagem principal – Maria. É interessante notar a diferença no impacto visual causado pelas cores numa e noutra pintura (vermelho: paixão e sentimento; e azul: calma e pureza).

Imagem Cor 2File:Orazio_Gentileschi_-_Annunciation_-_WGA08574.jpg

File:Rossetti_Annunciation.jpgImagemCor 3

 

Para saber mais sobre a interpretação da cor na Arte:

Curso online Análise de obras de arte

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Fill out this field
Fill out this field
Por favor insira um endereço de email válido.
You need to agree with the terms to proceed

Newsletter

Menu