LIÇÃO 8 – INTERVENÇÃO DE CONSERVAÇÃO E RESTAURO

Processo de limpeza de azulejo

O processo de tratamento de limpeza de um bem cultural pode consistir numa operação muito simples ou ser um processo bastante demorado.

Por limpeza entende-se a remoção de qualquer matéria estranha ao bem original, não considerado como uma intervenção de restauro.

Estas matérias estranhas podem ser de diversa ordem e estar relacionadas com:

– Os ambientes e locais onde permaneceram;

– O uso;

– A época;

– Os materiais e o tipo de fabrico; etc.

Podem existir em maior ou menor quantidade, estarem incrustadas ou pouco aderentes, estarem à superfície ou no interior do bem e serem de maior ou menor facilidade de remoção.

A limpeza é uma das operações mais comuns, normalmente um dos primeiros tratamentos, podendo por vezes ser o único efetuado.

As razões que justificam o processo de limpeza como essencial são diversas:

– Se a sujidade desfigurar o aspeto do bem, dissimulando a sua textura/cor/decoração;

– Se o bem for poroso e a sujidade puder vir a impregnar-se ou ser arrastada para o seu interior, provocando manchas;

– Se a sujidade poder vir a acentuar a deterioração, produzindo fraturas ou destacamentos.

Em casos específicos a limpeza pode também influenciar a continuidade dos tratamentos.

Por exemplo, a eliminação de materiais estranhos das zonas de fratura, tais como poeiras, gorduras ou restos de colas, são essenciais para garantir uma boa adesão dos novos adesivos e um bom ajustamento dos fragmentos.

Tal como nos restauros antigos, também algumas matérias estranhas ao objeto podem ter algum interesse histórico ou etnográfico e a sua manutenção ser desejável, no próprio bem (caso não contribua para a sua alteração) ou fora deste (caso esteja a contribuir para a sua degradação).

Alguns materiais, entretanto alterados, podem ter intencionalmente sido aplicados em determinados bens com distintas finalidades (eliminar a porosidade, proteção, acabamento, etc.) e não devem ser tidos como uma matéria estranha (embora possam ter que ser igualmente removidos).

 

(::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::)

 

A limpeza do tardoz

A remoção de argamassas do tardoz de azulejos pode parecer simples mas requer cuidado e experiência.  Veja o processo no vídeo seguinte.

Restauro de azulejos