PIGMENTOS

O QUE SÃO PIGMENTOS NATURAIS

Os pigmentos são substâncias finamente moídas que fornecem as cores necessárias à realização de pinturas.

Os pigmentos utilizados em pintura podem ser classificados em pigmentos naturais e pigmentos artificiais.

Um pigmento natural obtém-se diretamente da natureza, sendo apenas sujeito a processos de natureza física, de separação e de moagem fina.

Estes podem ser de origem mineral (terras e rochas) ou de origem orgânica ( vegetais ou animais).  Estas substâncias eram moídas até terem a consistência de um pó colorido.

Um pigmento artificial é obtido através de reações químicas, quer a partir de materiais mais simples quer por decomposição de materiais mais complexos.

Os pigmentos naturais mais utilizados pela sua facilidade e disponibilidade são os pigmentos “terras” geralmente terras minerais, compostas por diferentes tipos de óxidos, sulfitos e carbonatos. Em Portugal existe uma grande variedade de terras ocráceas e argilas coloridas.

Com as terras, obtinham-se variadas gamas de cores que, juntamente com outros pigmentos minerais, foram empregues, durante séculos, tanto nas pinturas exteriores, de carácter mais simples, como nas pinturas murais no interior de casas e igrejas.

 

Alguns pigmentos naturais atingiram grande prestigio em determinados momentos da história como, por exemplo, o azul ultramarino, obtido do precioso lápis-lazúli, atingiu o seu momento de glória na Idade Média e inicio do Renascimento, tornando-se no pigmento mais cobiçado e mais dispendioso.

 

Um pigmento por si só não tem a capacidade de fixação necessária, seja qual for o tipo de suporte. Tem portanto de ser misturado com um aglutinante. Este é uma substância que funciona como uma cola, que tem como função ligar e fixar as partículas de pigmento à base escolhida para a pintura.

 

Tradicionalmente utilizavam-se como aglutinantes a têmpera a ovo, a goma arábica, óleo, e cola de origem animal, nomeadamente cola de coelho.

 

Na técnica do fresco os pigmentos são misturados apenas com água, substância que não tem capacidades aglutinantes.

A fixação dos pigmentos, neste caso, realiza-se não pela ação do aglutinante mas pelo processo químico de carbonatação, conforme já foi explicado.