LIÇÃO 3 – A VIDA DE MARIA

1.Maria, Mãe de Jesus

 Maria, por vezes, designada de Virgem Maria ou Nossa Senhora, é, por meio da sua maternidade a Jesus Cristo, uma figura de importante veneração na Igreja Cristã desde a época apostólica.

Dessa forma, o interesse dos artistas, músicos e autores na sua figura foi crescente, principalmente a partir da época gótica.

Virgem e Santos

 Icone da Virgem Maria com o São Jorge e São Teodoro. Mosteiro de Santa Catarina, no Monte Sinai (séc. VI/VII). 

http://en.wikipedia.org/wiki/File:Encaustic_Virgin.jpg

 

As referências bíblicas à sua pessoa não permitem, pelo seu número, congregar uma imagem coerente de quem Maria realmente foi.

Os Evangelhos do Novo Testamento atestam à sua humildade e obediência da mensagem de Deus. Assim, a tradição da Igreja Católica desenvolveu em torno dela uma doutrina que faz de Maria um exemplo para todos os cristãos.

Também os textos apócrifos de Pseudo Mateus, de Tiago e o Transitus Mariae nos dão informação sobre Maria.

 

O pouco que se descortina das fontes textuais diz-nos que pertencia à linhagem do rei David (por meio do seu casamento com José – Lucas 2, 4) e que era filha de Ana e Joaquim, tendo sido concebida também milagrosamente: os seus pais eram já idosos quando um anjo lhes anunciou que nasceria. Com dois anos, foi apresentada ao Templo e com doze, casou com José (Lucas 1, 26-27).

A primeira referência que se encontra a Maria no Novo Testamento é a do episódio da Anunciação (Lucas 1, 26-38), em que se afirma que vivia em Nazaré e que estava noiva de José.

As fontes dizem-nos que rezava ou que tecia o manto do Templo de Jerusalém quando o Anjo Gabriel lhe apareceu, anunciando que dela nasceria o Salvador e que a sua prima também estava grávida, após o que Maria vai visitar Isabel. Em Lucas 1, 39-40, descreve-se este encontro (A Visitação).

visitação

A Visitação em iluminura. Ilustração de Livro de Horas de Rouen (séc. XV). Nas bandas laterais, podemos ver ainda representações do Pecado Original (Adão e Eva), do Abraço na Porta Dourada (Ana e Joaquim) e do casamento da Virgem (Maria e José).

http://en.wikipedia.org/wiki/File:MsCodex1056-25r.jpeg

 

Após o momento do nascimento de Jesus (Lucas 2, 1 e seguintes), ela aparece mencionada em numerosos episódios a par com o seu Filho, como:

  • A Apresentação ao Templo,
  • A Adoração dos Reis Magos,
  • A Fuga para o Egipto,
  • As Bodas de Canã (embora não se fale directamente o nome dela: João 2,1),
  • e os momentos envolventes à Crucificação de Jesus. Estes e aqueles referentes à Natividade são os episódios nos quais ela assume mais importância, mostrando a sua aceitação perante o nascimento, percurso de vida e morte dramática do seu Filho, que é o Salvador. Alguns historiadores, no entanto, contestam a sua aceitação ao caminho do Filho e, até, a consciência daquilo que realmente ocorre ao longo da Pregação de Jesus.

 

Giotto Fuga para o Egito

A Fuga para o Egipto. Fresco de Giotto (Capela Scrovegni, em Pádua; séc.XIV)

http://en.wikipedia.org/wiki/File:Giotto_-_Scrovegni_-_-20-_-_Flight_into_Egypt.jpg

 

Para saber mais…

Vida da Virgem

Cronologia da vida de Maria

Maria de Nazaré

Instituto Internacional de Pesquisa sobre Assuntos Marianos

iconografia jesus e maria compre este curso